quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Preciso escrever...

Gosto de lugares abertos, espaçosos e, de preferência, onde eu possa me perder um pouco, ficar só. Ficar só, apreciando o céu ou as pessoas: ambos parecem não ter fim e possuem brilhos diferentes. Gosto de vento no rosto, frio pra poder esquentar, chuva pra poder dormir, se tempestade, melhor ainda. Aprecio a neve e sei que gosto também, mesmo sem ter sentido/visto pessoalmente.

Também gosto de estrada de terra, dirigir em estrada de terra, dirigir. Gosto de mar, não de areia. Gosto especialmente de dias nublados e úmidos, não secos, nem ensolarados. O que gosto de apreciar são plantas brotando sozinhas em lugares difíceis de acreditar, e de insetos redondos que aparecem em todo lugar. Gosto de ver o céu sempre que há nuvens, estrelas ou lua. Pra mim todas etapas do dia são dignas de bom gosto, mas é claro que o anoitecer é incrivelmente especial pra mim, quando tiro tempo pra contemplá-lo me parece sempre a primeira vez.

Gosto de cheiros estranhos e diferentes, como cheiro de fazenda, mistura de chiqueiro, gado, hortas e comida caseira. Cheiro de cidade grande e todas as fragrâncias singulares ou misturadas pelos ventos, também. Gosto do cheiro de amanhecer, terra molhada, três perfumes em especial e de gasolina. Gosto também de barulhos de carros a noite, do trânsito ou do simples e contínuo som dos grilos, além de uma lista interminável de sons e músicas e do silêncio.

Gosto do pão definitivamente com a casca, e não abro mão de comê-la primeiro, gosto muito também de frango com molho agridoce, aquele maravilhoso caldo de carne ao curry, batata sauté, frita, assada, cozinhada e todas receitas que incluam batata ou mandioca. Comida é o que não falta pra gostar, frutas, verduras e dos pratos mais simples.

Gosto de ficar em silêncio ao lado de uma pessoa assim que a conheço. Não fui eu quem inventou as palavras e não preciso exatamente delas pra mostrar como devo conhecer alguém. Gosto de poemas, letras, pessoas que trabalham e que não falam muito também. Falo só o necessário. Palavras são o que não faltam aqui, já falo muito sem usar a boca e quando estou nervoso não sei o que dizer, esqueço que não preciso dizer nada.

É muita coisa pra gostar, um gosto pra cada estrela no céu. Não coube tudo aqui, nem precisa!

Porém, se me perguntar do que gosto mais, vou dizer, as ultimas coisas que aconteceram, e das que mais gostei recentemente: Uma "reconciliação", um jogo de leréia, uma ypióca de guaraná, um jogo de uno, uma oportunidade de emprego, uma viagem com trilha sonora, goiaba e assistir um filme de mãos dadas.

Um comentário:

Weena Potter disse...

Um jogo de leréia! *_________*
te amo, querido!
gostei desse texto também, é o Nathan
que eu conheço e que é meu, de qualquer forma que ele se exprima. Beijão