quarta-feira, 12 de outubro de 2011

Nem

 Eu não fiz nada, não achei mais tempo, não descobri coisas maravilhosas como Shakespeare, ou anônimos românticos que colocavam-no como autor de seus textos. Ainda não inventei nenhuma solução pros meus problemas, eles apenas são grandes quando acho que são e pequenos quando estou ocupado demais passando por momentos felizes. Eu também não encontrei formas de escapar da dor da saudade nem das outras dores, é inevitável.
 Eu tenho tanto ainda pra ser, tenho tanto pra tudo. Resumindo, tenho tanto pra viver ou morrer. Mas hoje, como ontem ou talvez amanhã venho saboreando o difícil fruto da felicidade. Felicidade encravada na realidade. Quando dizemos que eramos felizes e não sabíamos, como erramos, porque vamos dizer isso sempre, e digo isso porque ontem eu estive feliz. E antes que o dia acabe quero dizer: fui feliz hoje também.
 Eu tive tanto, agradeço tanto. Ainda tenho e agradeço, cada vez algo diferente. Espero que continue assim, e que seja gradativamente. Não vamos pensar num futuro distante, só num futuro raso, que não deixa de ser incerto. Bem, como eu dizia, não achei mais tempo do que as 24 horas por dia que Deus me dá, e que passa mais rápido a cada piscar de olhos, o que eu achei na verdade, foi a feliz chance de aproveitá-lo melhor.

CARPE DIEM

Nenhum comentário: