sábado, 14 de novembro de 2015

Sou casual

Não me visto em padrão, não sigo estilo tal
minha playlist é indie, mas eu sou casual

Também sou velho o suficiente pra ficar na minha
E jovem demais para deixar de sentir coisinhas

To meio pesado, conectado a um bilhão de pessoas
E uma entre elas, eu sei, preciso deixa-la ir
Seguimos, ok? Estarei aqui para você, mesmo assim
Mesmo que seja quando pra você há de convir

Tô tranquilo, pegando leve com o pessoal, até
Indo com calma, mas tendo alguns sonhos de condão
Parece que neles espero por algum prazer sem fim
Mas que, quando acaba, quebro meu próprio coração

Sim, meus sonhos resolveram imitar a realidade
pelo menos neles eu tenho mais liberdade

Nos meu sonhos, ou pesadelos, que sejam
Entro e saio, alço voo pelo céus que trovejam

Amo trovões, e tempestades, mas isso não é atual
Meu céu é ensolarado e triste, mas eu sou casual

Nenhum comentário: